Twitter Facebook Youtube
Home » Destaques » Biógrafo de Sabotage representará o Brasil em Comitê de Hip-Hop em NY

Biógrafo de Sabotage representará o Brasil em Comitê de Hip-Hop em NY

Texto: Mirtes Anjos | Foto: Marcio Salata

Toni C. autor da biografia “Um bom Lugar”, participa de uma série de atividades nos EUA, para difundir o hip hop nacional e levar a história do ídolo do Sabotage ao cenário mundial.

Sabotage chega a Big Apple através de sua biografia “Um Bom Lugar”. A carreira internacional daquele que marcou a história do rap no Brasil, não acabou nos prêmios de melhor trilha no filme Invasor, lançado em 2001 e dirigido por Beto Brant, ou na circulação do longa Carandiru, do diretor Hector Babenco, que em 2003 foi premiado em diversos festivais e concorreu a Palma de Ouro em Cannes. Isso era só o começo, dessa vez a biografia do artista é o passaporte para mais um trabalho de visibilidade internacional.

A história de Mauro Mateus dos Santos, popularmente conhecido como Sabotage, embarca nesta quinta-feira (07), na mala do autor Toni C, que já está com Maurinho na cabeça desde quando começou o trabalho de pesquisa, para escrever a biografia oficial do ídolo do rap.

O eterno maestro no Canão estará presente na terceira edição do Think Tank (“expressão que em português corresponde a “grupo de especialistas”“.) – em Nova Iorque EUA, promovido pela Hip Hop Education, em parceria com a Universidade de New York, Instituto de Desenvolvimento Urbano e Educação Minority e Columbia University. Iniciativa que parte das instituições de ensino locais e é direciona ao público geral, com intuito de profissionalizar o Hip Hop na área da educação.

Este ano tem como tema: O legado da educação Hip Hop, e comemoram os 40 anos da manifestação cultural de rua mais popular das Américas. Durante 2 dias de evento haverá apresentações, debates e exibição de filmes, nas mesas de discursão trata questões e ideias que são pesquisadas, analisadas e respondidas por diversas pessoas ligadas a cultura Hip Hop de todo o mundo, reforçando a diversidade cultural que cabe dentro do seguimento.

Questionamentos que também eram feitos nas letras de Sabota e se tornam cada vez mais atuais, quando trazidos à tona, através da biografia publicada pelo selo LiteraRua, em janeiro deste ano. Toni C, autor do romance “O Hip-Hop Está Morto!” e diretor do documentário “É Tudo Nosso!” é o representante do Brasil e irá participar da conferência junto a 300 autores, acadêmicos, conselheiros e demais profissionais que lutam por uma educação inclusiva onde o Hip Hop possa ser usado como ferramenta de ensino buscando introduzir no aprendizado em sala da aula.

De malas prontas, o autor diz que “Ir aos Estados Unidos palestrar sobre Hip-Hop é como se um chinês viesse ao Brasil para falar de samba. É desafiador, mas possível, afinal o hip-hop é local e global ao mesmo tempo” compara o autor.

toni_sabotage_salata_web
Do Brooklin ao Brooklyn

Sabotage mostrará que EUA também é um bom lugar, aproveitando o convite feito pelo comitê da Hip Hop Education, Toni C. vai participar também do “Annual Hip-Hop History Month Celebration Elements of Cuture” – Encontro Anual de Hip Hop, o seminário tem como objetivo reconectar as peças mais influentes do Hip Hop com as ruas que fez nascer à expressão cultural vivenciada no Hip Hop.

“O Hip-Hop é agora um meio que capacita as pessoas em todo o mundo”, o encontro acontece na próxima sexta-feira (08), no conhecido bairro do Bronx, NY.  A proposta é argumentar sobre a indústria do Hip-Hop e firmar as responsabilidades sociais que a cultura expõe, inclusive nos campos da educação.

SERVIÇO

Curioso pra conhecer o que os gringos verão em breve?
Para acompanhar agenda, saber os pontos de venda confira o site www.literarua.com.br/sabotage
Ou pela fanpage oficial do Facebook/livroSabotage.

Saber as novidades do Think Tank, e agenda da Annual Hip-Hop Month: acesse:

http://1stannualhiphopsummit2013.wordpress.com/event-info/
http://hiphopeducation.org/

 
SINOPSE DA BIOGRAFIA:

Quando o filme Carandiru de Hector Babenco estreou nos cinemas em abril de 2003, a cena de Sabotage beijando a bunda da ex-chacrete Rita Cadillac, surpreendeu menos pelo inusitado, marcou por ser uma imagem da qual o rapper nunca teve a oportunidade de assistir. Sabotage havia sido assassinado três meses antes, com quatro tiros, por motivos ignorados.

Sua biografia oficial conta com prefácio de um titã, Paulo Miklos, com quem Sabotage conviveu por semanas no set de filmagens de O Invasor de Beto Brant, era a estreia de ambos os músicos que invadiram o cinema nacional. Mas antes do auge, Sabotage era o Maurinho do Canão, o sobrenome emprestou da favela onde nasceu, encravada no Brooklin, o bairro que mais se desenvolvia economicamente no país, que redemocratizava. Um Bom Lugar é a primeira biografia definitiva de um rapper brasileiro.

Rappin Hood, Celo X, Ganjaman, Sandrão, Helião e Mano Brown, são alguns dos que concederam entrevistas exclusivas para a obra.

Sabotage é um artista que reúne a rara combinação da fineza e simplicidade de um papel de seda. Na seda bolava, acendia as ideias, compunha frases soltas e via surgirem seus versos. Filho de dona Ivonete e seu Júlio, era irmão caçula de Paulinho e Deda. A esferográfica o atraía mais que a bola no campinho na favela do Canão onde cresceu. Casou com Dalva, teve três filhos: Wanderson, Tamires e Larissa. Viveu em meio à criminalidade e a fama, o descaso e o sucesso. Rap é Compromisso, de 2001, seu único disco em vida, é um marco para o Hip-Hop brasileiro. O Rap ele misturou com Samba, Rock, Eletrônico, gravou músicas ao lado de Charlie Brown Jr., Sepultura, Thaíde, RZO, Black Alien, BNegão, Rappin Hood, entre muitos outros. Atuou nos filmes O Invasor e Carandiru e colecionou prêmios. Foi violentamente assassinado em 2003 no auge de sua carreira. Dez anos depois, ressurge em filme, disco, quadrinhos, e nessa biografia, só para provar a frase que junto com ele se eternizou: “Rap é Compromisso, não é viagem!”

BIOGRAFO:

Toni C. é autor do romance “O Hip-Hop Está Morto!” – A História do Hip-Hop no Brasil, organizador dos livros #PoucasPalavras de Renan_Inquérito, Um Sonho de Periferia, Hip-Hop a Lápis e Literatura do Oprimido e colaborador da revista Rap Nacional.

Social: Secretário de cultura da Nação Hip-Hop Brasil e da ORPAS – Obras Recreativas Profissionais, Artísticas e Sociais.

Audiovisual: Diretor do documentário É Tudo Nosso! O Hip-Hop Fazendo História. Editor da TV Vermelho e pesquisador do programa Estação Periferia – TV Brasil.

Prêmios: Ganhador do prêmio Cooperifa, recebeu Menção Honrosa pela Câmara de Marília. É reconhecido como uma das pessoas mais influentes da cultura brasileira, através dos prêmios Tuxáua e Escola Viva, pelo Ministério da Cultura. Foi congratulado pela Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul com a Medalha Comemorativa da 53ª Legislatura do Estado.

Bibliografia Completa:

Antologias
Hip-Hop a Lápis – O livro (2005)
Hip-Hop a Lápis 2 – Literatura do Oprimido (2010)
Um Sonho de Periferia (2011)

Romance
“O Hip-Hop Está Morto!” – A História do Hip-Hop no Brasil (2012)

Biografia
Um Bom Lugar – Biografia Oficial de Mauro Mateus dos Santos – Sabotage (2013)

Prefácio e comentários
Colecionador de Pedras – Sérgio Vaz (2006)
Trajetória de Um Guerreiro – DJ Raffa (2008)
Rap Dez – O Primeiro rapper dos Quadrinhos -Marcio Baraldi (2011)
Do Conto à Poesia – Alessandro Buzo (2011)
#PoucasPalavras – @RENAN_INQUERITO (2011)

 

Comentários:

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 

Notícias Similares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
Email
Print