Twitter Facebook Youtube
Home » Noticias » Conheça a ONG 'Interferência', no Jd Comercial – Capão Redondo

Conheça a ONG 'Interferência', no Jd Comercial – Capão Redondo

Você agora faz parte desse time, um time pela mudança na vida de 140 crianças.
Confira abaixo a primeira folha do campeonato, os escalados para nossa copa da mudança.
A Ong Interferência surgiu de uma história infantil  que Ferréz criou a alguns anos atras, onde uma menina conseguia pelo amor mudar seu bairro, segue essa história abaixo, para todos verem que mudanças são possíveis, basta agente acreditar.
Hoje com uma sede no Jardim Comercial no Capão Redondo, a mudança é real.

Amanhecer Esmeralda

Manhã acordou , foi até a pequena mesa feita artesanalmente com tábuas de caixotes e  não viu nenhum embrulho, mais um dia sem pão

Foi para a escola e o professor Marcão entrou na sala exatamente às sete horas, era pontual como um britânico.

A aula chegou ao fim, e todos estavam se levantando, quando Marcão olhou novamente para aquela menina, sempre mal arrumadinha e resolveu chamar Manhã para a mesa, a menina olhou meio desconfiada, pensando por alguns instantes no que havia feito de errado.

Ele perguntou sobre a família de Manhã.

Manhã falou que o pai bebia muito e mãe vivia trabalhando.

Marcão então se despediu dela, foi andando e a caminho de casa viu uma loja de roupas femininas e entrou.

No outro dia, mas uma aula terminava, e Marcão chamou a pequena Manhã novamente.

– Olha minha pequena, esse é um pequeno presente para você.

Manhã arregalou os pequenos olhos negros e pegou o pacote com delicadeza e ao abrir a embalagem estendeu o vestido, com uma cor que ela não sabia o nome.

Em seguida Marcão disse para Manhã que havia conversado com a Dona Ermelinda que era a merendeira da escola, para que ela arrumasse seu cabelo, Manhã concordou.

Dona Ermelinda chegou, olhou a menina e disse.

– Você é muito bonita mesmo, o Marcão fez mó propaganda dos seus traços africanos, agora eu posso fazer uma trança raiz em você?

– Sim. Respondeu a pequena sorrindo.

Dona Ermelinda dizia enquanto fazia a trança que manhã era afro descendente e com certeza vinha da família de uma linda rainha, talvez de algum dos reinos trazidos para cá para serem escravizados.

Manhã chegou em casa com pai estava sentando no sofá, e quando a viu perguntou quem era aquela linda menina, depois viu que era sua filha e começou a olhar pro barraco, e em alguns minutos percebeu que não combinava uma menina tão bonita com um barraco tão bagunçado e depois de algum tempo voltou com uma lata de tinta, começou a mexer em toda a casa, arrastando móveis de um lado para outro, Manhã perguntou o que ele ia fazer, e ele disse que ia pintar tudo para combinar com a beleza dela.

Quando a mãe da menina chegou não acreditou, abraçou a filha e ficou olhando o barraco todo pintado.

Naquele dia todos se sentaram na pequena mesa, feita com caixotes e conversaram.

Naquele dia a televisão não serviu pra nada, ficou muda e surda no canto da pequena sala.

A vizinha levantou cedo e viu o barraco da família de Manhã todo pintado, chegou para o marido e disse que queria pintar o seu também, começaram o trabalho e os outros moradores viram e começaram a arrumar suas casas também.

Depois que pintaram, decidiram cimentar a rua e durante todo o dia, ficaram espalhando concreto.

Manhã acordou, pegou seu material e saiu, quando chegou na rua, não acreditou, todas as casas estavam pintadas, tudo estava muito lindo, organizado como nunca havia visto, ela olhou para seu vestido, olhou para as casas, olhou para o céu, e viu que tudo era daquela cor, até o amanhecer era esmeralda.  Ferréz

 

Comentários:

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 

Notícias Similares

 
Email
Print