Twitter Facebook Youtube
Home » Especial-2 » Espetáculo de improvisos com levadas marcou a primeira etapa do Mic Master Brasil

Espetáculo de improvisos com levadas marcou a primeira etapa do Mic Master Brasil

O ringue está montado e o clima é de tensão. Mas apenas para quem vai disputar porque o público se mistura com os competidores e por trás de cada lutador, está a disposição que alimenta o sonho de vencer e levar o prêmio final. Estou em São Paulo, mais precisamente na Mary Pop, bem no centro da cidade, onde acontece a primeira etapa do Mic Master Brasil, a batalha de rimas que vai dar um carro Hyundai HB20 0 kM para o melhor MC de improviso do país.

Apesar de ser uma batalha, todos aqui são irmãos que tem em comum o amor pelo freestyle e o dom da rima.  O evento foi

organizado por Maomé, integrante da Cone Crew Diretoria, Nissin do Oriente e por Guilherme Muller e Priscila Tedesco, da marca Double-G que a responsável pela realização. Nos minutos que antecediam a abertura da casa para o grande público os organizadores se reuniram com os 16 MCs participantes para trocarem uma ideia e falar sobre a importância deste evento, que é um marco para o freestyle brasileiro. Maomé, que bem antes de fazer sucesso com a Cone participava e venceu diversas batalhas de rima, hoje tem orgulho de poder organizar – com a estrutura que o movimento merece – uma batalha que servirá como vitrine para apresentar novos talentos. E eu percebo a sinceridade e emoção no olhar de Maomé, que dirige a palavra ao grupo de competidores que ali estão reunidos, ele friza que quem está ali ja é vencedor, e que lutaram muito no passado para hoje poderem realizar o evento da maneira que queria. Ele também fala da importância do apoio da marca Double-G para a realização do evento e afirma que eles tão ali pra somar e são verdadeiros.

Como forma de incentivo, a organização do evento distribuí para cada participante um kit da marca. Neste momento o clima é de gratidão e os participantes eufóricos começam a experimentar os presentes que ganharam da marca que é um braço da QIX Skate.

Mic Master BrasilA porta do andar superior foi aberta e o público começa a aproximar-se do palco. Casa Onze Dj’s e DJ Alves fizeram o aquecimento da pista, enquanto Markone Tatoograff comandava a curadoria de living painting na área de fumantes. Neste momento o apresentador do evento, rapper Nissin do grupo Oriente, sobe no palco e no melhor estilo faz o informe inicial em forma de freestyle, convocando o público a curtir e os competidores a darem o melhor de si.

Quatro nomes de peso do RAP NACIONAL compuseram o júri: Sandrão do RZO, DJ Dan Dan que acompanha Criolo, Tio Fresh do Sp Funk e MC Flow, juntos com o padrinho local, Dadinho, indicaram quem venceu cada batalha.

Iluminação, som e estrutura de primeira garantem uma emoção maior no ringue. E a cada dupla que sobe no palco, o agito do público muda, pois dentre os rimadores estão figurinhas carimbadas que já participaram e venceram outras batalhas. Kauan, Muita Treta, Rato, Koell, Vic, Felix e Bivolt, Mamute, foram selecionados a dedo por Flow MC, Dadinho e Maomé. Os outros oito, Matheus Moreira e Miyagi, da batalha da Santa Cruz, Ferrari da Alvarenga Rap City, Vinicius Batista, da Praça Roosevelt, TVS do Parque do MCs, LRO da batalha Matrix, Tito da Batalha do Churrasco e Cíero do Sexta Free.

As disputas foram bem equilibradas, mas não é apenas o talento ou fama de cada competidor que irá garantir a classificação. Teve rimador bom que não conseguiu controlar a tensão e partiu para rimas perdidas, com golpes baixos e sequencias de palavrões repetidos. Esses, que perderam o controle e deixaram o nervosismo tomar conta foram eliminados pelo júri. Os mais calmos,  que souberam brincar com as palavras, levadas diferenciadas e frases inteligentes foram se classificando. Esses deram um show de contra-ataque, mostrando que para um duelo de freestyle é necessário ser diferente e inteligente.

Mic Master BrasilApós as oito primeiras batalhas, uma pausa para respirar, só que vai foi difícil ficar parado, pois Flow MC subiu no palco. O rapper, responsável pela Batalha do Santa Cruz, mostrou o porque do apelido e em uma demonstração de boa levada com letras de conteúdo impressionou e mostrou que entende do assunto. Grande destaque para a música “Quartinho Obscuro”, cantada de ponta a ponta junto com o público que lotava a casa.

Mais quatro batalhas pesadas e carregadas pela participação da plateia que tinha sede por ouvir uma rima de nocaute, marcaram as semi-finais já temos os nomes que vão para a final da etapa São Paulo, mas isso só depois do show do Haikaiss.

Apesar de divulgar constantemente os lançamentos deste grupo aqui no Portal Rap Nacional, este foi o primeiro show do Haikaiss que eu assisti. Confesso, fiquei impressionado com a qualidade da apresentação dos caras. Não é a toa que essa rapaziada está fazendo sucesso em todo o Brasil e se você não conhece, procure conhecer, pois o grupo é bom pra caramba!

Fazer música boa é uma coisa, cantá-las ao vivo com qualidade é outra, e Haikaiss tem ambas as qualidades. Métrica e levada Mic Master Brasildiferenciada unem os integrantes a uma só voz. Além de músicas do disco anterior “Cortesia da Casa”, conferi ali, bem de perto, ao vivo uma amostra do que está por vir no aguardado álbum “Fotografia de um instante”, só pancada! Outro ponto positivo da rapaziada é o respeito que eles demonstraram pela nossa primeira geração, convidando ao palco o rapper Sandrão que junto cantou com o grupo a música a qual ele participa “Espelho Magnético” e trechos de algumas do RZO e Sabotage, levando a galera ao delírio. Ao lado do palco, outro integrante do RZO, DJ Cia, observava com admiração a integração do parceiro de grupo com a nova geração.

Na sequencia foi a vez do organizador do evento, Maomé, subir no palco para rimar. Ele mandou algumas pancadas inéditas e ao lado de T-Rex e Saulo Catharino mostrou que não se prende a um estilo de rima, muito pelo contrário, esse cara tem munição de sobra e ali mostrou algumas inéditas que fizeram tremer o chão com músicas da mixtape “Formulas Mágicas”. Exemplo do que presenciei ali são músicas que não saem da minha cMic Master Brasilabeça, destaque para “Disse Que me Disse”, “Inimigo Íntimo” e “Casa Mal Assombrada”. Não tem maneira melhor de explicar isso do que disponibilizar o disco para vocês aqui no Portal Rap Nacional. Clique e confira!

Nissin sorteia junto ao público presente, quem vai enfrentar quem nas últimas batalhas da noite, que vai classificar dois para a grande final. A tensão aumenta e a agitação não para. Apontado pelo apresentador do evento, como uma das melhores batalhas da noite, Mamute e MC Koell fizeram um show a parte, mostrando que apesar de ser uma disputa, é necessário ter respeito pelo próximo. Mas Mamute respeitou demais, e no primeiro round deixou de atacar o amigo para demonstrar um pouco mais da sua técnica de rima e flow, o que deu desvantagem ao MC, pois Koell não perdoou e chegou com tudo garantindo a vaga na grande final, ao lado do parceiro Kauan, que carimbaram passaporte e estão mais próximos do carro zero.

Mic Master Brasil

Sucesso é a palavra que resume a festa e que marcou apenas o início da grande batalha Mic Master Brasil. A união de pessoas que trabalham sério junto com uma marca de roupas que sabe o que o consumidor quer, não poderia trazer um resultado diferente. E fique atento, em breve estaremos divulgando mais informações sobre a próxima etapa que acontecerá no Rio de Janeiro e nós estaremos por lá para que os leitores do Portal Rap Nacional possam acompanhar o evento com todos os seus detalhes.

Confira abaixo a galeria com mais de 400 fotos:

Comentários:

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 

Notícias Similares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
Email
Print