Twitter Facebook Youtube
Home » Destaques » Hip Hop ocupa ponto de prostituição e uso de drogas mas é impedido pela prefeitura de São Carlos

Hip Hop ocupa ponto de prostituição e uso de drogas mas é impedido pela prefeitura de São Carlos

Integrantes do movimento Hip Hop ocuparam em abril deste ano, um espaço abandonado desde 2004 na cidade de São Carlos.

A ocupação foi feita afim de limpar o local e colocar em pratica o que o Hip Hop prega,  no intuito de resgatar jovens com programação cultural e oficinas ligadas ao movimento Hip Hop, porém, estão sobre pressão da prefeitura local, que solicitou que eles se retirem e abandonem as atividades desenvolvidas por lá.

Para entender melhor, confira abaixo a nota de apoio da Frente de Hip Hop do Interior Paulista (FH2I) a Casa de Hip Hop em São Carlos:

A FH2I-Frente de Hip Hop do Interior Paulista, por meio desta, reafirma seu apoio e solidariedade a Casa de Hip Hop Sanca, na cidade de São Carlos.
A ocupação foi estabelecida no dia 26/04/14, na rua Bispo Don Gastão – Vila Irene, no que deveria ser o Centro do Idoso, se as obras paralisadas em 2004 tivessem sido concluídas pela prefeitura, o que não ocorreu, criando assim um espaço ocioso durante 10 anos. Ao invés de proporcionar cidadania, lazer e cultura esse espaço público servia de ponto de prostituição, uso de drogas, além de estar repleto de lixo. A partir da instalação da Casa do Hip Hop, o prédio ganhou melhorias estruturais e de limpeza, e ainda passou a cumprir a função social para os cidadãos de São Carlos através de programações culturais diárias principalmente vinculadas ao Hip Hop, como a realização de oficinas, jogos e espaço de leitura. Hoje, a Ocupação resiste a ordem do Judiciário, acionado pela Prefeitura de São Carlos, para que se retirem e abandonem as atividades desenvolvidas no Local.
Por entender que o Hip Hop contribui para o desenvolvimento físico e intelectual do ser humano, em especial o\as jovens;
Por entender que o Hip Hop é um agente de transformação social eficiente;
Por entender que é legítima a ocupação de um espaço ocioso para transformá-lo em ponto de acesso a cultura, ao esporte e ao lazer, uma vez que Estado não supre essa demanda;
Por entender a importância dessa luta que está sendo travada; as cidades de Limeira, Porto Feliz, Porto Ferreira, Guarulhos, São Paulo, Bauru, Rio Claro e Mogi Guaçu, representando a FRENTE DE HIP HOP DO INTERIOR PAULISTA, organizações e demais entidades nos solidarizamos com a Ocupação Casa do Hip Hop Sanca, apoiando sua reivindicação pela função social da propriedade e os direitos fundamentais das pessoas beneficiadas pelas atividades lá desenvolvidas.

 

O movimento Hip Hop do interior de São Paulo pede para que compartilhem e deixe um comentário com o seu apoio, afim de evitar a desocupação desse espaço de transformação social.

Comentários:

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 

Notícias Similares

OUTROS COMENTÁRIOS (3)

  1. salve rapa , conheço essa cidade já tive uma passagem puraí em meados de 2001 /2002 , na época o movimento do rap já rolava forte na cidade , vamos resistir e desse jeito mesmo quando propõe mudança as politicas publicas querem tentar atrapalhar , estou muito orgulhoso de saber que existe luta e resistência dentro da cultura nesta região .

  2. Infelizmente aqui no Brasil é assim!

  3. Carlos Canedo disse:

    Ocupar! Produzir! Resistir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
Email
Print