Twitter Facebook Youtube
Home » Especial » Moysés anuncia saída do A286 e entra definitivamente no Facção Central

Moysés anuncia saída do A286 e entra definitivamente no Facção Central

O rapper Moysés, mandou uma nota oficial para o Portal RAP NACIONAL, explicando sua saída do grupo A286 e que agora passa a integrar oficialmente o Facção Central, leia na íntegra:

Sobre a saída do “A 286”

Agradeço “DEUS” e ao Portal Rap Nacional por mais essa oportunidade de poder transmitir ao FIEL PÚBLICO do “A 286 e Facção Central”, a responsabilidade que ora tenho em minha militância dentro do RAP, o que não podia ser diferente, uma vez que o público sempre me acolheu como sendo um dos que fazem parte do primeiro batalhão no Exército dos Excluídos do RAP COMBATIVO, anuncio minha saída do “A 286” não como sendo o fim de um grupo e sim de um ciclo, quero aqui deixar claro que não há e nem nunca houve um agravante entre mim e meus companheiros de grupo, “IVAN e REINALDO”, o que houve é que o atual momento do “A 286” não condiz com a nossa realidade de vida, pra ser forte o “A 286” precisa de maior dedicação de seus integrantes, o que vinha se tornando algo muito difícil devido uma série de fatores, dentre eles a distancia devido nossas responsabilidades pessoais como trabalho, família, estudo, enfim curto espaço de tempo pra se planejar uma RESISTÊNCIA eficaz, o que pra nós sempre foi bem transparente, pois desde início concordamos que nossa vida particular sempre estaria à frente do grupo, uma vez que não íamos visar lucros com o RAP e sim enfrentar muita luta pela frente, quem canta RAP só tem uma única certeza, que enquanto houver motivo a causa da favela deve ser defendida, a gente doa a parte da vida pro RAP sem esperar nada em troca, sem direito a seguro de vida e muito menos fundo de garantia, o que nunca foi um problema uma vez que o reconhecimento da FAVELA sempre foi e será o combustível que move o RAP, se DEUS chegasse hoje e me dissesse, que é necessário eu continuar em minha cadeira de rodas pra poder atingir outras vidas, em prol da melhoria do próximo, eu não atentaria para o fato com tristeza e sim com muita satisfação, na certeza de resgatar uma vida através da minha letra (RAP), eu adiaria sim o meu milagre diante de “DEUS”, quem realmente me conhece sabe da minha sinceridade e transparência, vivo cada dia que “DEUS” me permite lutando pela VITÓRIA DA FAVELA e tenho sim bem definido em minha vida, que pra fazer algo pelo próximo você precisa ter condições, senão passa a ser sacrifício e não luta, ao lado do “IVAN e do REINALDO” vivemos diversas experiências tanto no RAP quanto na vida pessoal, não tenho o que falar desses dois gigantes, assim como sei que não existe a possibilidade de conciliar a minha integral presença dentro de DOIS GRUPOS tão respeitados quanto o “A 286 e o Facção Central”, seria pretensão demais da minha parte querer assumir tal tarefa, embora meu coração até queira isso, mas se eu fizer isso o foco da luta estaria comprometido, eu sei que enquanto estivemos os três lado a lado, o “A 286” cumpriu o seu papel de ferramenta na luta pela causa do oprimido, eu costumo dizer que nós três juntos (MOYSÉS, IVAN e REINALDO), sempre desempenhamos nossas funções ativistas como o RAP nos exige, o que me conforta é saber que várias pessoas foram sinceramente alcançadas pelas nossas composições, o que hoje nos dá a real condição de já sermos “imortais” através das palavras e procedência de vida, enfim RAP NACIONAL, pra mim encerra-se meu ciclo no “A 286” e inicia-se outro ciclo no “FACÇÃO CENTRAL”.

arquivo Moysés FC

Sobre a permanência no “FACÇÃO CENTRAL”

Conhecendo bem os críticos de plantão no NOSSO RAP, talvez eu seja julgado pelo juízo de valores em relação a “A 286 e Facção Central”, quero adiantar que mesmo conhecendo a imensa e implacável dimensão de luta do “FACÇÃO CENTRAL” em relação ao “A 286”, nunca em minha vida imaginei tal acontecimento, ou seja, nunca almejei ser definitivamente integrante do “FC”, uma vez que a convite do próprio grupo eu tive a oportunidade de viver o luxo e o lixo no RAP, através dessas duas máquinas transformadoras de vida, respeito sim a força do “FC” mas sei muito bem o que significa a sigla “A 286” pra favela, ambos são e sempre serão verdadeiros veículos de comunicação formadores de opiniões, sempre soube o valor de dividir o palco com “Ivan, Reinaldo, Dum Dum e Eduardo” sem mencionar a banca de extraordinários “backings vocais” que tive a satisfação de estar lado a lado até hoje, jamais vou negar minha origem e muito menos a minha escola no RAP, de Erick 12 a Fabio Macari, cada um tem parte e contribuição na formação desse militante aqui, assim feito André A 286, Mandrake, Kbção NA CENA, Vidal Liberdade e Revolução, DJ Pantera, Anderson Heavy, dentre vários outros, muito obrigado RAP NACIONAL desde os grupos de RAP até nosso inquestionável e sagrado público.
Sobre cantar no “Facção Central” foi assim, na verdade sempre fiz parte né, o que houve foi um oficial e definitivo convite do meu irmão “DUM DUM” pra dividir os palcos com ele, agora com maior participação, vou compor e cantar, dividir tarefas e responsabilidades, assumir os compromissos do grupo, participar da política de funcionalismo, vou implantar minha verdade que não é diferente da “Dum Dum, Biel e DJ AR-15”, pois sofremos com os mesmos problemas, tanto o grupo quanto o público, enfim vou fazer a LINHA DE FRENTE DO FACÇÃO, sou o mesmo “MOYSÉS”, tenho minha própria forma de enxergar a vida, não estou substituindo ninguém (que fique bem esclarecido), pretendo continuar VENCEDOR pois é assim que “DEUS” me fez, pra vencer meus dramas, o preconceito, a discriminação, a exclusão social e todos os obstáculos e pedras que eu encontrar pela frente, não tenho medo da morte e sim muito respeito pela vida, VIDA LONGA E DIGNA À FAVELA.

arquivo MOYSÉS

Agradecimentos Finais

Quero agradecer cada TATUAGEM, gesto de respeito, aplausos, camisetas e bonés bordados em nome do “A 286” e dizer do fundo da minha alma, nada disso pra mim foi em vão, pois nossa história no RAP é construída em cima de muito suor e sangue, nossas marcas vão resistir ao tempo e influenciarão outras gerações, pois enquanto houver injustiça, o inconformismo social da FAVELA vai bater de frente, seja cantando RAP, escrevendo livros, através das nossas artes marginais (tatuagens, grafites, letras e etc.), através da nossa filosofia de vida, pois nós somos aquilo que acreditamos ser e tenho certeza que já imortalizamos a nossa luta, através das músicas, das nossas condutas e atitudes, coisa que o opressor nunca vai entender, lembre-se A NOSSA LUTA CONTINUA, A CHAMA PELA JUSTIÇA CONTINUA ACESA, o que temos que mudar são nossos métodos estratégicos de combate pra que nosso inimigo se confunda e não preveja nosso próximo passo, a nossa morte física não significa o fim da nossa RESISTÊNCIA, pois a luta é imortal não vai conosco pro caixão, vai morre um favelado e nascer outros com a intenção de fazer a diferença no mundão, prova disso é a ETERNA PRESENÇA DE DEUS NO MUNDO e o maior exemplo revolucionário já existente, o imortal “JESUS CRISTO”, enquanto eu tiver fôlego de vida não vou parar de lutar contra quem planeja incessantemente a exploração da classe pobre, A VOZ DO FAVELADO continua no ar até quando “DEUS” deixar, aqui é MOYSÉS… do berço ao caixão, UMA SÓ VERDADE.

MOYSÉS
Militante da FRN FAMÍLIA RAP NACIONAL

Comentários:

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 

Notícias Similares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
Email
Print