Twitter Facebook Youtube
Home » Sem categoria » Nelson Motta faz homenagem aos 20 anos de carreira do Marcelo D2

Nelson Motta faz homenagem aos 20 anos de carreira do Marcelo D2

Na última sexta-feira na coluna de Nelson Mota, foi ao ar no Jornal da Globo uma homenagem à Marcelo D2, que está completando 20 anos de carreira.

No vídeo o jornalista, escritor, compositor, produtor de discos Nelson Motta narra em resumo os principais destaques e fatos marcantes da história do rapper e também do grupo Planet Hemp.

O carioca Marcelo Maldonado Gomes Peixoto continua à procura da batida perfeita, e faz uma mistura única de samba com hip hop. Também conhecido como Marcelo D2, ele está na coluna de Nelson Motta:

Marcelo D2 comemora 20 anos de carreira como o mais criativo e influente rapper carioca, que fez a síntese do hip hop, o rock e o samba com o Planet Hemp e, depois, em carreira solo. Com suas letras sensacionais que misturam drogas e violência com humor e malandragem.

O rap brasileiro começou em São Paulo, com Thaide e DJ Hum, que explodiu com Os Racionais. Com um estilo duro e contundente, de forte pegada social.

Já o rap do Rio de Janeiro, sem deixar de ser marginal e provocador, é por natureza uma extensão da malandragem carioca. Baseado na irreverência e na anarquia que teve no Planet Hemp um dos seus maiores sucessos.

Com o disco “Usuário” e várias músicas defendendo a liberação da maconha, que não tocavam no rádio, o Planet vendeu 400 mil discos e levava multidões a seus shows, que várias vezes eram interrompidos pela prisão da banda, acusada de apologia às drogas.

D2 começou a sua carreira solo diversificando a temática de suas letras e as batidas da banda, com maior presença do samba, que o levaram a um dos discos mais importantes da música brasileira moderna: “A Procura da Batida Perfeita”.

Depois de encontrar várias batidas perfeitas e grandes sucessos, D2 ainda lançou um CD acústico surpreendente. E contou boa parte da sua história nas letras autobiográficas de “Meu Samba é Assim”.

Grande admirador de Bezerra da Silva, mestre da malandragem e criador do ‘sambandido’, D2 virou cantor para homenageá-lo em um disco com os seus clássicos cariocas.

Tanto artistas novos como consagrados batem cabeça para o D2, que aos 47 anos, além do talento e inteligência dos seus versos e o suingue de suas batidas, continua surpreendente sempre e mostrando que está cada vez melhor.

Comentários:

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 

Notícias Similares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
Email
Print