Twitter Facebook Youtube
Home » Eventos » Projeto Hip Hop – Paris Sampa aproxima cena brasileira e francesa no Sesc Pompeia

Projeto Hip Hop – Paris Sampa aproxima cena brasileira e francesa no Sesc Pompeia

Encontros de rappers mostram que as possibilidades de conexão entre os dois países vão além da batida e do verso; no palco, Didier Awadi e Rappin’ Hood, Georgio e Projota traduzem a realidade dos dois países e de suas periferias

Entre os dias 5 e 8 de junho, o Sesc Pompeia reúne as cenas de Brasil e França no projeto Hip Hop – Paris Sampa. Serão dois shows: nos dias 5 e 6 de junho sobem ao palco o franco-senegalês Didier Awadi e o paulistano Rappin’ Hood; e nos dias 7 e 8 de junho é a vez do parisiense Georgio e de Projota rimarem na Choperia.  A proposta é aproximar as cenas dos países e mostrar as possíveis conexões entre os sons produzidos na França e no Brasil.

Uma das principais linguagens musicais da última década composta por um caldeirão de elementos que vão do discurso social das letras aos ritmos como o funk, o soul e o rhythm’n’blues, o Rap se transformou em expressão legitima do cotidiano dos jovens que experimentam a dura realidade e a falta de perspectiva das metrópoles; seja nos bairros longínquos da Grande São Paulo, seja nos “banlieues” (subúrbios) da Grande Paris.

Presente em diversos países, o Hip Hop tem no Brasil e na França dois grandes celeiros. O estilo floresceu, em ambos os países, à medida que a periferia ganhava voz ativa no cenário cultural e, ao mesmo tempo, era modificado pelas novas informações trazidas pelos fluxos de migrantes e imigrantes ao longo das três últimas décadas.

Na França, a influência exercida por artistas norte-americanos no início dos anos 80, somou-se, na década seguinte, às primeiras gerações de filhos de imigrantes nascidos no país, marginalizados nos “arrondissement” (bairros) afastados do centro da cidade, e aos jovens nativos sem emprego. Situação que se tornou combustível para as tensões sociais traduzidas nas letras que se referem à violência e injustiça urbanas.

Em terras brasileiras o processo não foi diferente. Influenciado pela cena estadunidense, o movimento ganhou, nas periferias da Grande São Paulo, o motor de ideias que sustentou a cena em seus primeiros anos. Marcado pelo relato fiel da dura realidade da “quebrada”, o hip hop paulistano recentemente conquistou novos públicos com temáticas mais amplas e sonoridades que apostam na diversidade rítmica.

O projeto Hip Hop – Paris Sampa busca justamente aproximar e estimular as conexões, diálogos e diferenças entre as cenas brasileira e francesa. Para tanto se reúnem no Sesc Pompeia representantes de escolas distintas do hip hop nos dois países. Didier Awadi, senegalês de nascimento e porta voz da França africana, encontra Rappin’ Hood, paulistano e arauto da imensa Zona Sul, ambos veteranos do ofício, na quinta e na sexta, dias 5 e 6 de junho.

Nos dias, 7 e 8 de junho, a nova geração celebra o duradouro legado do estilo nas rimas e batidas de Projota, rapper da capital paulista cujas letras falam de um cotidiano pessoal, e Giorgio, jovem artista francês fruto da mistura cultural do 18º “arrondissement” (região densamente ocupada por imigrantes), mostrando o quanto os jovens tem em comum dos dois lados do atlântico.

 

Sobre os artistas

 

Didier Awadi (SEN/FRA)

Nascido no Senegal, Didier Awadi se tornou um dos grandes representantes do rap francófono de origem africana. Antes de seguir como artista solo, Awadi co-fundou a Positive Black Soul com Doug E. T e a dupla fez nome no cenário internacional na década de 1990. Graças a suas letras fortes e suas canções de protesto e de conscientização, Didier Awadi tornou-se um ícone popular entre os jovens, expressando as esperanças e temores desta geração da África atual. Tendo lançado cinco discos entre 2001 e 2012, apresenta neste espetáculo canções de seu último disco intitulado Ma Révolution (Minha Revolução).

 

Rappin Hood (BRA)

Rapper, compositor, produtor, apresentador e ativista brasileiro Rappin’ Wood já lançou dois discos intitulados Sujeito Homem e Sujeito Homem 2, cuja gravação contou com participações de artistas como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Jair Rodrigues, Zélia Duncan, além de dois integrantes da banda Living Colour. Já se apresentou com Didier Awadi em Dakar (Senegal) e agora apresenta seu show ao lado do rapper senegalês para o público brasileiro.

 

Giorgio (FRA)

Fruto da mistura cultural do 18º “arrondissement”, uma das zonas que mais recebem imigrantes em Paris, Georgio lançou um primeiro EP intitulado “Soleil d’hiver” em 2013 juntamente com algumas datas de shows incluindo um grande concerto no Nouveau Casino de Paris. Em 2014 lançou-se num projeto ambicioso. Através de uma votação em seu site da internet, Georgio decidiu deixar ao público a direção artística de sua próxima mixtape produzindo em oito semanas, oito novas músicas e oito novos clipes. Pela primeira vez no Brasil o jovem rapper de 21 anos pretende mostrar sua produção que inclui músicas como “A l’Abri”, “Comme une balle” e “Homme de l’ombre”.

 

Projota (BRA)

Projota começou sua carreira aos dezesseis anos ao lado de seu amigo e também rapper Rashid. Depois de vencer algumas batalhas de MC’s, lançou seu primeiro EP “Carta aos meus” em 2009 e continuou a lançar EP’s e mixtapes até o lançamento de seu álbum de estúdio “Não Há Lugar Melhor no Mundo que o Nosso Lugar” em 2010. Nesta apresentação Projota executa repertório baseado em seu último trabalho, a mixtape “Muita Luz”.


SERVIÇO


Sesc Pompeia apresenta – Projeto Hip Hop – Paris Sampa

 

Didier Awadi e Rappin’ Hood

Dias 5 e 6 de junho de 2014, quinta e sexta-feira, às 21h30, na Choperia

 

Projota e Giorgio

Dias 7 e 8 de junho de 2014, sábado às 21h30 e domingo, às 19h, na Choperia

 

Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 18 anos.

Ingressos: R$ 6,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$ 15,00 (usuário matriculado no Sesc e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$ 30,00 (inteira).

 

Venda online a partir de 26 de maio, segunda-feira, às 17h30.

Venda presencial nas unidades do Sesc SP a partir de 28 de maio, quarta-feira, 17h30.

 

SESC Pompeia – Rua Clélia, 93.

Telefone para informações: (11) 3871-7700.

Não temos estacionamento. Para informações sobre outras programações acesse o portal www.sescsp.org.br/pompeia

Horário de funcionamento da Bilheteria – De terça a sábado das 9 às 21 horas e domingos e feriados das 9 às 19 horas.

Formas de pagamento – Cheque, cartões de crédito (Visa, Mastercard e Diners Club International) e débito (Visa Electron, Mastercard Electronic, Maestro e Redeshop).

 

Comentários:

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 

Notícias Similares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
Email
Print