Sign in / Join

Querem acabar com a Casa do Hip-Hop de Teresina-PI

“A CASA DO HIP HOP FICA”

Não jogue nossa historia no lixo

Imagine alguém que passa anos trabalhando por uma causa justa e verdadeira, imagine que essas pessoas tem na sua trajetória ajudado inúmeras pessoas por acreditarem em um mundo melhor, reflita toda essa caminhada, culminando na conquista de um espaço, e de repente anos depois de tanto esforço, toda a dedicação, todo trabalho não vale nada. O reconhecimento não acontece e até por pessoas próximas, que só se importam com o prático, o hoje, o agora, olhe pra essa pessoa e diga “você não serve mais” .

Seria um fim triste como vários finais tristes que já vimos acontecer na vida real mais agora no fim da Casa de Hip Hop ( Centro de Referência da Cultura HIP HOP )estamos sentindo isso na alma e apesar das dificuldade não vamos abrir mão de expor nossa história.

Associação Piauiense de Hip Hop é uma entidade cultural e social sem fins lucrativos fundada por militantes da cultura hip hop de um coletivo chamado Questão Ideológica, que tem suas atividade iniciadas em 1994 através de reuniões e atividades culturais que aconteciam na Praça Pedro II Centro de Teresina(berço da cultura hip hop em Teresina) , só em 2003 os militantes do coletivo Questão Ideológica conseguiram criar uma associação para   viabilizar estruturas para fortalecer o Movimento Hip Hop, foco principal da associação.

No ano de 2004 a Associação procurando um imóvel que pudesse servir como Sede pra a execução dos seus trabalhos, localizamos no Bairro Parque Piauí, um Prédio publico a mais de uma década abandonado, e neste momento decidimos reivindica – lo junto ao poder publico para servir como base e sede dos nossos trabalhos e assim criamos o Centro de Referencia da Cultura Hip Hop possibilitando, assim inaugurar a primeira casa de hip hop das regiões norte e nordeste, e o maior espaço de um centro de referência de cultura hip hop do País, transformando Teresina em uam referência em trabalhos sociais com cultura hip hop. Com isso o movimento Piauiense participou de vários editais e parcerias públicas/privadas e executou vários projetos junto as comunidades carentes.

São 7 anos de muita Cultura e Cidadania nesse local sempre com o foco de colocar jovens de periferia em contato direto com a cultura hip hop , inclusão digital, artes plásticas como também com os estudos, pois dentro do prédio existe um Estúdio Multimídia, um Telecentro em Software Livre, Uma Biblioteca, Sala de dança, um projeto de Judô pra Crianças, Uma Serigrafia, Sala de Aula para DJ, Sala pros Grafiteiros( Artista Plástico ) e salas de aulas pra cursos, como reforço escolar e pré-vestibular popular.

A Associação Piauiense de Hip Hop atualmente passa por problemas financeiros e parte das atividades estão suspensas, menos as atividades mantidas pela garra e convicções dos associados que é o Estúdio multimídia, a Dança e Serigrafia. Porém devido a essa lógica irracional de parte gestores do Governo do Estado, estamos preste a fechar as portas da Casa de Hip Hop de Teresina ( a maior Casa de Hip Hop da América Latina ). Nos últimos meses representantes da Seduc decidiram tirar da Associação de Hip Hop o prédio, sem comunicação e contrariando um compromisso feito pelo próprio Secretario de Educação ( Atila Lira ) firmado em uma visita do mesmo a Casa de Hip Hop, mais infelizmente fomos surpreendidos por técnicos da Seduc que de forma truculenta ou seja, sem aviso prévio deram início a reformas no prédio, de tal forma e tal pensamento como se o prédio estivesse abandonado, mesmo vendo todo o movimento e atividades lá realizadas como citamos anteriormente, como já dito de forma grosseira e desrespeitosa mandando a Associação procurar outro local pra se instalar pois naquele prédio não poderiam mais ficar, e fizeram isso sem enviar pelo Menos um Oficio ou Comunicação de ato dos Assessores da SEDUC.

A Casa do Hip Hop é Nacionalmente e Internacionalmente Reconhecida através dos seguintes Prêmios e Editais.:
Na Palma da Mão – Apoiada pela Banda o Rappa e nos Carioca a FASE – 2003
Oficinas de Grafite – Fundação Banco do Brasil
Fortalecimento do Hip Hop – Fundação Kellogg
Fortalecimento do Hip Hop – Sebrae – PIAUÍ ( Projeto Cabeça de Cuia )
Ponto de Cultura – Ministério da Cultura
Pontão de Cultura Preto Ghoez Ministério da Cultura
Casa Brasil Hip Hop – Cnpq – Ministério da Ciência e Tecnologia
Consórcios Sociais da Juventude do Primeiro Emprego – MTE
Prêmio Preto Ghoez – Ministério da Cultura Categoria Reconhecimento.
A Casa do Hip Hop Recebeu em 2003 o maior encontro de Pontos e Entidade de Cultura do Norte e Nordeste, onde participaram todos os estados do Norte e Nordeste além de Rio de Janeiro, Distrito Federal e São Paulo.

 

70 comments

  1. Júnior Rodrigues 6 março, 2012 at 22:09 Responder

    É com muita tristeza que li isso, mas na verdade não me surpreende. Não é interessante para o Governo, verem crianças e jovens, tendo acesso a cultura e a informação, pois juventude informada, significa mudança política!
    Sei que apesar das dificuldades, o Rap é mais forte que tudo isso e a motivação é por uma causa justa! Deus tá do lado e aí daquele que mexer com os escolhidos!
    O Hip Hop vai sobreviver, o Rap vai sobreviver, vai cresecer e incomodar! Estamos juntos na luta aqui de Fortaleza!

  2. Gilmário Silva 6 março, 2012 at 22:20 Responder

    vamos mostrar nossas forças contra esse gorverno imcopetente que quer feixar a maior casa de HipHop da America Latina, o "QI" Questão Ideologica da cidade de Teresina Piauí, a SEDUC cade vez mostrando mais imcopetência, alem dessa greve que está prejudicando varios alunos das escolas públicas do Piauí, a SEDUC quer fexar a maior casa HipHop do Brasil para construir um estacionamento, isso é fruto de um governo sem visão que não está dando a mínima assistência para cultura HipHop.

  3. DjBranco Cmahiphop 7 março, 2012 at 01:14 Responder

    Não podemos deixar uma ferramenta tão importante como essa que é a Casa do HipHop ser fechada, querem calar nossa voz, enfraquecer nossa luta. Esse é uma espaço de empoderamento, transformação, formação, educação, conscientização, aprendizado e de economia solidaria. Independente do estado que moramos temos que apoiar a manutenção desse espaço de cunho sócio-politico-cultural.
    CMA HipHop está junto nessa luta.

  4. Crônica Mendes 7 março, 2012 at 02:36 Responder

    Querem nos combater. Precisamos reagiar. Não dá pra acreditar que o rap está sendo aceito desta vez. Ei irmãos e irmãs, a LUTA continua. Como diz o Poeta Sérgio Vaz.

    "Não confunda briga com luta, briga tem hora para acabar e luta é pra vida inteira."

  5. Bruno Do Rap 9 março, 2012 at 17:51 Responder

    Tanta Sujeira pra limpa no brasil como la no congresso dos patifi e querem acaba logo
    com uma casa de cutura que da oportunidade pros juvens que ser encontra em alguns pontos tragico de vida gerada pelos que governa com malacia pra gozar trabalho escravo.

Leave a reply