Sign in / Join

“Rap do Grande Amor” é o novo som do Costa Gold

Nog e Predella apostam em lovesong inspirada no “Samba do Grande Amor” de Chico Buarque

Apostando em uma lovesong, mas sem deixar o boom bap de fora, o Costa Gold lança nesta sexta (28), pela Som Livre, o “Rap do Grande Amor”. Segundo Nog e Predella, o single é uma resposta à canção “Samba do Grande Amor”, de Chico Buarque nos anos 90. Inovando com um trap mais romântico misturado a batidas da MPB, a concepção criativa da música foi feita pelo Nog, que assim como Predella, é fã de música brasileira por influências de suas famílias.

Sobre a inspiração em “Samba do Grande Amor” de Chico Buarque, Nog explica:“No refrão de sua música o Chico canta ‘Hoje eu tenho apenas uma pedra no meu peito/Exijo respeito, não sou mais um sonhador/Chego a mudar de calçada/Quando aparece uma flor/E dou risada do grande amor/Mentira’. A gente se inspirou no amor para contestar essa desilusão. No rap a gente fala que o amor existe sim e que apesar de tudo é bom amar e ser amado. Em um dos versos eu falo ‘E eu nunca mais vou dar risada do grande amor, essa rima é sincera’”. O refrão do “Rap do Grande Amor” traz os versos: Mas se ela passar/Vou me preparar pra cena/Fácil me deixar levar nesse desejo louco morena/Se ela não passar/Por essa calçada que pena/Difícil não lembrar/Você não sai da minha cabeça.

Predella afirma que a atual aposta do Costa Gold é um novo caminho aberto para ser percorrido e lembra que as referências da música brasileira começaram desde cedo dentro de casa. “A MPB sempre foi uma influência no meu processo criativo, sempre escutei Cássia Eller, Lenine e outros diversos cantores, não só da música popular brasileira como do samba também. Tem inúmeros artistas que fogem do segmento de rap e que servem de inspiração para nós. Isso está sendo muito bom, porque além da influência que tivemos das nossas famílias nas nossas vidas, agora podemos usá-las na nossa música. Sem dúvida nenhuma, está sendo muito legal poder trabalhar desse jeito”, diz.     

Nog finaliza tranquilizando os fãs do grupo que o boom bap do Costa Gold está mais vivo do que nunca. “Não vamos perder a nossa essência, queremos inovar e estamos investindo em um projeto grandioso de sonoridade. Queremos que o nosso som chegue mais longe, mas o boom bap estará sempre presente para o nosso público”, declara.

Assim como “Lua” e “Dás Arábia 2”, o “Rap do Grande Amor” faz parte do‘Projeto 6’, que completa a segunda trilogia do Costa Gold. O trabalho recebe esse nome por ser o sexto álbum lançado pelo Costa Gold, que será dividido em duas partes: Azul e Vermelho. O primeiro é um álbum visual, carregado do estilotrap MPB, onde o grupo traz instrumentais que misturam sons clássicos de violão e batidas eletrônicas, visando diferentes parcerias. Ele será trabalhado ao longo do ano, com previsão de lançamento de um clipe por mês. Já o álbum Vermelho traz o renascimento do boom bap, essência do grupo, através de músicas inéditas e possui previsão de lançamento para dezembro, fechando o projeto.

Sobre o Costa Gold

Fundado em 2012 por Predella, o grupo paulista de rap Costa Gold já produziu cinco CDs. Em 2015, na formação oficial, com Nog, Predella e DJ Cidy, lançaram o CD ‘.155’ que trouxe a nova identidade do grupo e surpreendeu o público com músicas irreverentes e inovadoras. Possui ainda outros dois CDs em conjunto com o Cacife Clandestino, no projeto ‘Cacife Gold’. Para sustentar o público, o grupo investiu na produção de singles em 2016, mostrando que possui um trabalho muito consistente e íntegro. Em 2017, após estabelecer-se no cenário como um dos maiores na história do rap nacional, lançou o CD ‘300’,  que trouxe como participação os novos nomes do rap para 2018 e tinha como objetivo defender todo o legado que foi construído pelo Costa Gold. Em 2019 o grupo assina com a Som Livre e lança o ‘Projeto 6’, dividido em duas partes: Azul e Vermelho, inovando ao trazer o trap MPB e resgatando o estilo boom bap do início de sua carreira.

O grupo faz músicas que retratam de uma forma diferente as vivências e conclusões, sendo elas boas ou ruins, de temas observados e vividos não só pelos artistas, mas por todos que escutam e se identificam com o som. As batidas são instrumentais, criadas por produtores musicais, que vão do boom bap ao trap, com bastante influência internacional e nacional, desde o samba de raiz do Brasil até o trap de Atlanta. O Costa Gold é o pioneiro do segmento a conquistar números milionários no YouTube, tendo mais de 500 milhões de visualizações e mais de dois milhões de inscritos em seu canal.

Comments are closed.