Sign in / Join

Yago Opróprio lança clipe de “Amor Incendiário “

Com um funk melody engajado, “Amor Incendiário” acrescenta frescor e urgência à cena rap, trap, funk. Trafega pela cidade a rebeldia apaixonada do eu lírico em guerra contra o sistema. Em meio a molotovs e estilhaços de vitrine, contra as forças da repressão do estado, o narrador exorta a beleza e a força da musa que se manifesta. Esse “novo” engajamento político enaltece a cultura da quebrada, o amor romântico, um visual “dahora” e o rolê na vila. Yago Oproprio parece não se preocupar em rotular inimigos pela via comportamental.Toma a cidade como sua conspira em meio ao tumulto e planeja novas cenas de amor e curtição.Amor incendiário, não se restringe ao gueto, antes, reivindica o mundo.
O Video Clipe foi assinado pela GiraMundo Filmes. 


Uma produção inteiramente independente. 

Yago, Opróprio

Nascido na Zona Leste de São Paulo, Cohab II, Yago Oproprio carrega o DNA das influências musicais periféricas.Desde a infância às voltas com o sarau Casa de Dolores, no Jardim Triana, sede do grupo de mesmo nome, Yago toma contato direto com a arte com a influência de diversos artistas populares, É também deste seio que emana a poesia intensa de suas letras.Viveu na casa das Avós por algum período, que lhe trouxe a simpatia e o traquejo dos interiores paulitas. Ainda niño foi morar com a mãe em Caracas, Venezuela. Lá, aprendeu espanhol e teve contato com as musicas de Calle 13, Orishas, Don Omar, dali as influências da sonoridade latina que imprimem ritmo e singularidade às suas criações.De volta ao Brasil se instala na Cohab 1, Artur Alvim, na casa do pai, um dos fundadores do Coletivo Dolores, nesse território traça caminho forte com o funk e o rap nacional, sabotage, duda marapé, sombra, racionais, ao mesmo tempo que flertava com Chico Buarque, Moreira da Silva, Pedro Luís e a Parede entre tantos outros.Da Praça do Morcegão ao CDC Vento Leste, Yago se aventura em rimas, skate, e teatro popular, conhece da política comunitária e das paradas loucas da quebrada.Cresceu na escola pública e triangulava a cohab, jardim hercília e jardim triana.Dessa mistura da rua com a arte periférica é que vai matutando a poética urbana que não se fecha num mundo sóYago Oproprio trilha os caminhos do diálogo com as pessoas e as cidades, salta da quebrada, sem abandonar a raíz

Texto: Gabriel Oliveira 

Comments are closed.